ActualRegional
22 Maio, 2022

Sérgio Conceição apresenta “The other side”no Forte da Graça

"O Forte da Graça" é um ícone de refúgio, um lugar que sempre procurei e vou continuar a procurar para recarregar baterias e a ele devo todo o meu respeito."

O fotógrafo Sérgio Conceição apresenta dia 28 de maio, às 18 horas, no Forte da Graça – The other side, uma exposição de fotografia, com mais de 10 anos, numa organização da Câmara Municipal de Elvas.

Para o autor desta mostra de fotografias, “o Forte da Graça com o seu passado, é para mim mais do que um conjunto de ruínas que sobreviveram ao longo do tempo e foram reconstruídas para receber visitas. O fotografo elvense considera o Forte da Graça, um sitio impar “é um lugar inspirador, onde apenas quem consegue sentir a magia do local com as suas alterações diárias consegue captar a sua essência… Consegue ver para além do que lá está! É um ícone de refúgio, um lugar que sempre procurei e vou continuar a procurar para recarregar baterias e a ele devo todo o meu respeito.

Foto: Sérgio Conceição

Sérgio Conceição faz uma homenagem ao Forte da Graça “reúno um conjunto de imagens desde 2011 no qual vivi momentos únicos de estranheza, de certezas e incertezas, de recuperação, de emoção e de tantas outras coisas que não consigo nem nunca conseguiria descrever. Cada imagem revela um estado de espírito e um marco essencial da minha história, na história da minha vida nestes últimos 6 anos, como se de um traço naquelas paredes se tratasse. Cada imagem foi vivida e captada unicamente por mim. A cada luz retratada corresponde um sentimento… Uma etapa que passou… Ter presenciado todos esses momentos sozinho foi igualmente uma sensação indiscritível. Algo que ficará guardado para sempre na minha mente e em cada uma destas imagens como se elas conseguissem dizer eternamente o que eu ali estava a fazer. Em cada parte um sentimento, em cada pedaço uma história. Algumas revelando a imensidão e paz profunda, a combinar com a grandeza e tranquilidade do firmamento. Outras focadas na realidade mais profunda e numa interacção entre o fotógrafo e o monumento, captando a raiva e a agressividade de um mundo de egoísmo onde prevalece a lei da sobrevivência. Onde o tempo passou, mas as memórias ficaram. Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas lançadas fora, das descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, de tantos risos e momentos que compartilhamos… Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim… de todo o companheirismo vivido…Sempre pensei que as pessoas fossem para sempre, hoje já não tenho certeza disso. Em breve cada um vai para seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, vamo-nos perder no tempo. A saudade vai bater dentro de nós. Vai-nos dar uma vontade de ligar, de ouvir aquelas vozes novamente… Vamos fazer promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante. Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vidinha isolada do passado… E vamo-nos perder de novo no tempo. Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades… E recorda, é nos locais mais estranhos e isolados que todos nos encontramos!”

Sérgio Conceição, tem 37 anos, nasceu em 1984, em Elvas, no Alentejo, em Portugal. Assume-se como fotografo de paisagem, astrofotografia e retrato social.

As suas imagens têm sido publicadas em diversos sites internacionais e revistas de todo o mundo.

About this author

0 comments

There are no comments for this post yet.

Be the first to comment. Click here.