ActualRegional
20 Setembro, 2022

Portalegre recebe rastreios à Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica

Dias 26, 27 e 28 de setembro, das nove às 16 horas.

A Grande Marcha da DPOC é a mais recente campanha de rastreios, a nível nacional, lançada pela Fundação Portuguesa do Pulmão à Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica (DPOC).

Portalegre, nomeadamente, na Rua do Tabolado, 7A – Elvas  irá promover estes rastreios, nos dias 26, 27 e 28 de setembro, das nove às 16 horas.

Esta ação de rastreio espirométrico, exame que não é comum realizar-se nas consultas de rotina, tem como público-alvo fumadores e ex-fumadores com uma carga tabágica de 10 unidades maço/ano, o que corresponde a fumar 1 maço por dia durante 10 anos, que apresentem ou não sintomas de dificuldade respiratória, tosse, falta de ar (especialmente durante as atividades físicas), chiadeira no peito, aperto no peito e tosse crónica produtiva, mas sem diagnóstico de doença.

Em 2018, as doenças respiratórias foram responsáveis por 13.305 (11,7%) óbitos em Portugal (1), onde a DPOC representou 2,5% da mortalidade em Portugal (com um aumento de 7,9% face a 2017) (1). É ainda de salientar que as doenças respiratórias mataram cerca de 36 pessoas por dia, em 2021, sendo que 90% das mesmas se devem ao consumo de tabaco, refere o Prof. Doutor José Alves.

A espirometria é um exame não invasivo que permite avaliar o funcionamento dos pulmões e dos brônquios e a sua realização demora cerca de dez minutos. Os resultados das espirometrias realizadas serão enviados para a Clínica do Pulmão onde serão analisados por médicos pneumologistas.

No caso de diagnóstico de DPOC, os doentes poderão agendar uma consulta gratuita na Clínica do Pulmão, se assim o desejarem.

Segundo o Presidente da Fundação Portuguesa do Pulmão, “diagnosticar a DPOC de forma precoce permite que se inicie um tratamento adequado, evitando a progressão natural da doença. A Fundação Portuguesa do Pulmão sente o dever de trabalhar a este nível para alterar a epidemiologia da DPOC, alterando a mortalidade e morbilidade inerentes.”

Sobre a Fundação Portuguesa do Pulmão

A Fundação Portuguesa do Pulmão é uma organização, sem fins lucrativos e de solidariedade social, instituída no dia 15 de junho de 2009.

Os seus fundadores são a Associação Nacional de Tuberculose e Doenças Respiratórias e um conjunto de personalidades preocupadas com a repercussão social das doenças respiratórias, que no seu conjunto são uma das principais causas de morbilidade, incapacidade de longa duração e mortalidade.

Cientes de que a promoção da saúde respiratória, a prevenção da doença e a defesa dos interesses e direitos dos doentes respiratórios são deveres de toda a Sociedade Civil, a Fundação é criada com o intuito de constituir um elemento dinamizador de ações que contribuam para a melhoria da saúde respiratória dos portugueses.

O que é a Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica?

A doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC) é uma doença pulmonar comum, prevenível e tratável que é caracterizada por persistência de sintomas respiratórios associados a obstrução do fluxo de ar aos pulmões. Os sintomas incluem: dificuldade respiratória, tosse, produção de muco (expetoração) e sibilos. A principal causa de DPOC nos países desenvolvidos é o tabagismo. Pode ser também causada pela exposição a longo prazo a gases irritantes, produtos químicos poluentes ou a fumo passivo.

O diagnóstico é feito através de espirometria, um exame simples que mede o fluxo de ar nos pulmões.

About this author

0 comments

There are no comments for this post yet.

Be the first to comment. Click here.