Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
ActualRegional
29 Junho, 2020

Monforte compra vouchers a empresários e entrega-os às IPSS´S, GNR e Centro de Saúde

Vouchers no valor total de 1.000€ foram adquiridos a empresas de restauração e serviços de cabeleireiro do concelho de Monforte.

A Câmara Municipal de Monforte aprovou por unanimidade uma proposta apresentada pelo seu presidente para aquisição de vouchers no valor total de 1.000€ junto de cada uma das empresas de restauração e serviços de cabeleireiro que exerçam de forma regular atividade no Concelho e que, à data da declaração do estado de emergência, estavam em funcionamento. Os vouchers serão distribuídos pelos profissionais afetos às IPSS’s com sede na área do Concelho, GNR e Centro de Saúde.

De acordo com Gonçalo Lagem, Presidente daquela autarquia alentejana, “consciente das dificuldades financeiras que resultaram deste período de confinamento/isolamento social determinado legalmente devido à situação de pandemia, a autarquia, para além de outras medidas de apoio que incrementou, pretende, desta forma”.

O objetivo passa por apoiar as empresas do concelho.

“Apoiar o tecido económico local e, em simultâneo, estimular junto da comunidade o consumo dentro do Concelho, participando ativamente na mitigação do impacto financeiro nas empresas e nas famílias que dependem dessas empresas, uma vez que ficaram impedidas ou altamente condicionadas no desenvolvimento das suas atividades comerciais, refletindo-se inequivocamente numa perda de rendimentos”, justificou.

“Por outro lado”, adiantou o autarca, “pretende-se também compensar todos aqueles que, nas instituições concelhias mais afetadas pelos constrangimentos impostos pela pandemia, se viram obrigados a uma dedicação para além do que foi exigido à restante população, os designados “trabalhadores da linha da linha da frente e os utentes das IPSS do concelho que foram sujeitos, pela sua vulnerabilidade a um confinamento especialmente severo”.

Gonçalo Lagem concluiu referindo-se à medida, como sendo uma medida “3 em 1”, pois “o Município apoia efetivamente os que se viram privados de exercer a sua atividade, valoriza em jeito de reconhecimento e gratidão os que mais foram sacrificados e estimula a economia e o consumo local”.

About this author

0 comments

There are no comments for this post yet.

Be the first to comment. Click here.