Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
Exclusivo
26 Janeiro, 2017

ANCPA: 25 Anos de Porco Alentejano

O Montado alentejano é a paisagem mais famosa do Alentejo. A raça do porco alentejano e os montados estão historicamente associados. São os frutos destas árvores que constituem o principal recurso alimentar destes animais.

A ANCPA – Associação Nacional dos Criadores do Porco Alentejano vem desenvolvendo de há 25 anos a esta parte melhorias efetivas no melhoramento da raça.

PorcosGrande

A ANCPA – foi constituída em 1991, em Elvas.

Atualmente com 200 associados tem sede em Évora apresentando um efetivo reprodutor na ordem das tês mil e quinhentas porcas.

O secretário técnico do Livro Genealógico do Porco Alentejano lembrou que uma vez recuperada a raça o futuro passa por melhorá-la.

Porcospolicarpo

Policarpo Teixeira de Sá – Médico Veterinário

A forma de vida e maneio do Porco alentejano no montado confere-lhe características singulares e de excelência, nomeadamente a sua rusticidade e capacidade reprodutiva.

porcoscoelho

João Coelho – Engenheiro 

No início dos anos 90, João coelho tinha como missão por o livro Genealógico a funcionar e trabalhar na criação da denominação de origem do Porco Alentejano.

Quando chegou ao terreno encontrou uma realidade bem distinta da que existe atualmente.“O mercado que existia eram as matanças caseiras (…)

Os objetivos propostos à altura foram totalmente alcançados. “Conseguimos desenvolver a raça e desenvolver os seus caracteres”.

 porcosBi

José Eduardo Gonçalves – produtor

Na herdade do Forte do Conde, no concelho de Vila Viçosa, há criação do Porco Alentejano em extensivo, como manda a sua natureza.

A produção anual é de 200 porcos de montanheira, que são comercializados para o mercado espanhol.

José Eduardo Gonçalves é criador há 15 anos e lembra que este é essencialmente um produto de exportação com relevante importância para a economia agro-pecuária nacional.

Os criadores da ANCPA têm provavelmente os melhores exemplares de porco alentejano do mundo e, por isso, os criadores sublinham a importância do associativismo e a força alcançada no setor da comercialização.

“A Associação deu um importante impulso à compra agrupada de fatores de produção e venda de produtos através do nosso agrupamento, ou seja há investigação, temos associação e comercialização”.

porcospauloteixeira Paulo Tenreiro – Produtor

Há um velho ditado popular que afirma que a natureza criou a bolota para os porcos, e que os porcos nasceram para a bolota.O porco Alentejano tem uma elevada capacidade de utilizar e valorizar os recursos naturais.

Ontem como hoje, o acabamento dos porcos constitui o elemento estratégico do sistema de produção do porco Alentejano.

Paulo Tenreiro é criador do Porco Alentejano desde 2004 e faz o ciclo completo, ou seja, desde a maternidade até à engorda em montanheira.

Tem explorações no alto Alentejo e no Alentejo Central, estando o núcleo principal localizado no concelho de Ponte de Sor, na freguesia de Montargil. Tem 40 porcas reprodutoras e engorda em bolota cerca de 250 porcos por ano.

Os montados são o habitat natural para esta raça de suínos, que é considerada a jóia da coroa da pecuária extensiva portuguesa Para este produtor, o futuro só será promissor com a Associação nacional dos criadores do porco alentejano.

porcosGomez

Juan Luis Gomez – Produtor

Juan Luis Gomez é criador de porco alentejano há cerca de 14 anos. É espanhol e tem uma herdade nos arredores de Évora. Em Salamanca tem uma indústria que se dedica ao processo de transformação do porco.Para este empresário é fácil explicar o porquê da escolha do porco alentejano como atividade de negócio.

“É uma raça que aporta muita qualidade ao nosso negócio, que são os presuntos”.

porcosfrancisco

Francisco Guiomar – Produtor

Francisco Guiomar dedicou toda a sua vida à terra e à criação do Porco alentejano. A sua família começou no baixo Alentejo, mas o Alqueva submergiu o chão que lhe garantia o sustento empurrando-o para o Alentejo central, mais precisamente para o concelho de Redondo, onde hoje tem a herdade da Gaivota.

Tem atualmente 30 porcas reprodutoras em sistema de camping e engorda anualmente cerca de 140 porcos de montanheira. Praticamente toda a sua produção é escoada para o mercado espanhol.

“É a qualidade da carne que me faz criar o Porco Alentejano puro”.

PorcosYurgen

Jurgen Schreier – Produtor

O alemão Jurgen Schreier está em Portugal desde 1997. Veio trabalhar na indústria automóvel numa empresa alemã com filial no país.

Devido às suas raízes familiares no setor da agricultura, em 2002, adquiriu uma pequena quinta em Vendas Novas, onde por brincadeira criava dois porcos.

Em 2006 criou uma empresa de energias renováveis, vendeu os 50 hectares de terra que tinha na Alemanha e no início de 2013 adquiriu a herdade Cuncos do Meio, com 140 hectares, em Silveiras, concelho de Montemor-o-Novo.

Esta herdade dispõe de um montado invejável e Jurgen rapidamente percebeu as potencialidades que ali tinha, passando de dois para 700 porcos alentejanos.

porcosmaternidade

Na sua herdade encontramos um Oásis para as 45 porcas reprodutoras produzirem os animais engordados por este criador.

Nesta maternidade encontram todas as condições que necessitam para dar à luz e tratar das suas crias pelo tempo necessário.

Foi o modo de vida em estado puro e selvagem destes animais, que levou Jurgen a ser criador da raça.

“Crio esta raça porque são os porcos mais felizes do mundo”.

porcospresuntos

Barrancos: A indústria transformadora do Porco Alentejano

É em Barrancos, na Casa do Porco Preto, que alguns dos animais dos criadores da Associação Nacional do Porco Alentejano são transformadas, sobretudo em Presuntos.

É uma das muito poucas indústrias transformadoras (eliminar a palavra com) de animais de montanheira com que a associação trabalha em território nacional. Todas as demais localizam-se já em território espanhol.

Em Barrancos, o tempo, paciência e saber artesanal de gerações é deixado em cada uma das peças.

As mesmas passam por vários processos de cura, com um tempo total entre 24 a 48 meses descansando na escuridão e silêncio da cave a fim de se obter o produto de excelência que todos conhecemos.

A marca a fogo é símbolo da denominação de origem protegida do presunto do Alentejo e retrata igualmente todo o percurso, trabalho e sucesso alcançado pelas peças que a ostentam. Atualmente os produtos com DOP Alentejo são comercializados pela ANCPA.

porcosNobre

Chef António Nobre

A carne do Porco Alentejano faz igualmente as delícias à mesa de qualquer cozinha que se queira tradicional e simultaneamente sofisticada

Pelas mãos do chef António Nobre ficamos a saber como é tão simples cozinhá-la só com sal e fogo.

“A carne é saborosa, macia e suculenta. Isto fica a dever-se não só à sua alimentação, mas também ao exercício que praticam no campo”.

No final , a carne do Porco Alentejano desafia as nossas papilas gustativas e desperta um sabor que uma vez provado jamais será esquecido ou confundido.

About this author

0 comments

There are no comments for this post yet.

Be the first to comment. Click here.