Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!
ActualEconomia
31 Janeiro, 2016

Os Cereais e Vinho – Torre do Frade

A Casa Agrícola Torre de Frade, localizada em Santo Aleixo, concelho de Monforte, é uma forte defensora da cultura de cereais.

O País não se pode dar ao luxo de basear o seu consumo na importação, defende o empresário do Mês, Fernando Carpinteiro Albino.

Nesta exploração agrícola cultivam-se cerais de sequeiro e regadio. “Há cerca de dez anos construímos uma barragem que nos permitiu transformar o sequeiro em cerca de 250 hectares de regadio”.

A inovação é uma palavra sempre presente nesta exploração e já se perspetivam novos investimentos. “Agora vamos fazer mais hectares de olival e passar dos atuais 38 hectares de vinha para um incremento de 60 hectares”.

A Torre de Frade notabilizou-se na última década na produção de vinhos.

Encontraram terra fértil para a produção de uvas e um santuário – A Adega (construção do século XVIII) onde o vinho repousa tranquilamente por longos meses e anos, em condições ótimas ao seu estágio e desenvolvimento.

O vinho engarrafado é conservado à temperatura de 15 graus e 60 por cento de humidade.

Entre 1999 e 2001 tem lugar a instalação da vinha por fases na folha poço dos baldes. No total são plantados 24 hectares de vinha tinta. Em 2002 tem início o fornecimento de uva para adegas particulares.

Decorria o ano de 2003 quando os filhos começaram a estudar o potencial de criação de um vinho próprio e é em 2004 que a administração da Casa Agrícola se decide a criar uma marca de vinhos própria.

A primeira colheita deu origem à Torre de Frade Reserva 2004, sendo galardoado com medalhas de ouro. A produção de vinho é feita de acordo com o índice de vendas.

“Produzimos de acordo com as vendas e anualmente está toda vendida (…) estamos em vários países europeus e Angola”. A Casa Agrícola Torre de Frade tem como princípio manter a tradição das vindimas à mão, como forma de conservar os postos de trabalho sazonais naquela localidade do concelho de Monforte.

About this author

0 comments

There are no comments for this post yet.

Be the first to comment. Click here.