ActualRegional
13 Setembro, 2018

Há novas regras para o estacionamento em Elvas

Nuno Mocinha defende que o objetivo é “devolver o espaço público às pessoas, para além da melhoria da circulação e estacionamento automóvel no centro histórico”.

O novo Projeto de Regulamento Municipal de Zonas de Estacionamento da cidade de Elvas prevê a constituição de bolsas de estacionamento e zonas de estacionamento proibido, sendo que as bolsas de estacionamento vão constar de diversas áreas, assinaladas por cores, sendo que a Zona I, sujeita a taxa, corresponde ao Parque de Estacionamento Subterrâneo, Zona II, correspondente ao Parque de Estacionamento na avenida da Garcia d’Orta, conhecido como Parque da Shell, e que estará também sujeito ao pagamento de taxas.

 

Dois selos de identificação

O projeto prevê também a criação de dois selos de identificação: rosa e verde, adstritos a zonas de estacionamento próprias, identificadas como tal, e que estão reservadas a residentes, instituições e estabelecimentos, devendo as viaturas estar identificadas com o respetivo dístico.

Estas zonas são de estacionamento gratuito, desaparecendo todos os parquímetros instalados no centro histórico, à exceção do instalado no Parque da Shell.

Proibição de estacionamento

Neste regulamento está também prevista a proibição de estacionamento em várias artérias, pelas suas condicionantes próprias, como seja a Rua do Tabulado, a Praça 25 de Abril, ou a Rua de São Lourenço, entre outras, por forma a tornar o trânsito e a circulação mais fluída.

O Parque localizado na Praça de Armas continua a ser gratuito, ficando uma zona reservada a estacionamento livre e outra a portadores do selo rosa.

Bolsas de estacionamento livre

Além deste parque, a Autarquia criou bolsas de estacionamento livre, sendo uma delas a do fosso junto à Escola Superior Agrária, que será alvo de obras de requalificação para dar mais segurança a quem ali estaciona, assim como o baluarte do Príncipe, e junto ao hotel São João de Deus.

O projeto encontra-se agora em fase de discussão pública, para recolha de opiniões e sugestões dos residentes e não só, até ao dia 1 de outubro.

About this author

0 comments

There are no comments for this post yet.

Be the first to comment. Click here.

Deixar uma resposta