ActualEconomiaRegional
11 Julho, 2018

Empresário Alemão aposta na criação do Porco Alentejano

Toda a produção é exportada para o mercado espanhol.

A Herdade dos Cuncos do Meio localiza-se em Silveiras, Montemor-o-Novo e dedica-se à produção em ambiente extensivo do porco alentejano.

Este Templo do Bem Estar Animal foi adquirido em 2013 pelo casal germânico Jurgen e Cordelia Schreier.

O início da atividade nasceu na paixão do casal pela agricultura, especialmente pela criação de suínos.

Primeiro começou de uma forma caseira e tradicional por Jurgen ainda em casa de seus pais na sua terra natal e foi em Portugal, no Alentejo, que esta paixão e respeito pelo animal ganhou forma.

A Herdade Cuncos do Meio dispõe de uma área de 140 hectares, com a particularidade de 120 serem de montado denso.

No início, em 2013, um núcleo de 80 suínos de Raça Alentejana foi adquirido e repartido em duas metades, dando origem ao primeiro grupo de reprodutores da herdade.

Com a outra metade formou-se o primeiro grupo, que foi recriado e engordado a bolota no regime de Montanheira. A Herdade de Cuncos do Meio criou condições para acompanhar todo o ciclo de vida do porco alentejano.

A exploração tem 50 reprodutoras e cinco machos – os designados barrascos – de raça pura alentejana.

O ciclo de vida destes animais é respeitado desde a sua nascença.

Existem 45 espaços de maternidade, onde as mães podem cuidar tranquilamente dos seus filhos nas primeiras oito semanas de vida.

Empresário Jurgen Schreier

Por altura do desmame, os leitões têm entre 15 a 18 quilos e são colocados em grupos, com cerca de 60 animais cada, que posteriormente são distribuídos pelos vinte parques da herdade.

No ano de 2018, o efetivo reprodutor duplicou e para além das duas parições tradicionais, os produtores têm agora possibilidade de aproveitar os recursos desta herdade durante todo o ano.

David Silva – Engenheiro Zootécnico

Anualmente, a exploração encontra-se ocupada com cerca de Mil porcos de raça Alentejana em diferentes estados de desenvolvimento e produção.

Estas espécies encontram-se inseridas num sistema de exploração baseado no aproveitamento dos recursos naturais envolventes, tendo como base a sustentabilidade ambiental coassociado com níveis de bem-estar animal elevados, permitindo a valorização do ecossistema habitado.

Todo o processo de criação e bem-estar foi pensado e agilizado por forma a que durante todo o tempo de vida do animal, o melhor lhe fosse proporcionado.

 

Tendo a natureza por companheira e sendo ela a marcar o ritmo do seu crescimento, numa harmonia plena, os porcos alentejanos deste produtor alemão permanecem neste processo até aos 20 meses de vida.

Depois disso, tem início a fase de montanheira, ou seja, uma vara de 100 animais é colocada no habitat designado de montado. Desde o ano de 2013, aproximadamente 3000 animais foram engordados na época de Montanheira.

A Herdade dos Cuncos do Meio engorda anualmente 500 porcos no regime de montanheira e o objetivo é duplicar, através de parcerias com agricultores vizinhos, em áreas de montado, com bolota disponível para o seu consumo.

Para o porco alentejano a vida em Montanheira constitui mais um paraíso na terra: Aqui têm Liberdade; alimentam-se do que a natureza dá – o fruto do montado: a bolota e usufruem de uma tranquilidade e descanso Ímpares.

Exportação para o Mercado Espanhol

Toda a produção realizada nesta herdade e pelo produtor Jurgen Schreier, no Alentejo, é exportada para o mercado espanhol.

Criado num ambiente completamente extensivo durante 22 meses de vida, estes porcos alentejanos dão origem a produtos premium e de elevado valor, como os Presuntos, Enchidos e carne fresca, tenra e suculenta com elevados níveis de gordura intramuscular. São produtos altamente valorizados no mercado.

About this author

0 comments

There are no comments for this post yet.

Be the first to comment. Click here.

Deixar uma resposta